No vácuo,
suspenso.
Não peça para saltar
caio dentro
sem saber voltar.

Pairado,
flutuo.
Não chame pra ir,
mergulho a Terra
sem poder sair

No ar,
gravito.
Não atraia,
sucumbo seu
Mundo num tento.

Na órbita
pairo.
Não olhe,
ofusco a visão
do amanhã.

No tempo,
impermaneço.
E vejo girar, rodar
Sem som
Num silêncio celestial