Prometeu chover
Mas passou
Fez sombra, sei
Mas foi embora
Aliviou  por aí.
Mas aqui, seco
Não chove
Não multiplica.
Repete
Mas não produz.
Promete
Excita a esperança
Abusa da fé
Mas queima
Diverge e
Não germina
Vazio de ilusão
Não despenca.
Nem desaba
Promete nova safra
Mas não molha
É feito hai kai
Vacuo Oco  Seco Morto