Quando soube do ar

Uma luz se abre

Um sopro queima

choro

É um lugar diferente

Uma sensação que mais tarde soube ser o frio

Sons diferentes que mais tarde descobri serem vozes

Choro

Um corpo me aquece

Humm. Gostoso.

Choro

Falta algo

Procuro e logo encontro um enorme bico

Me alimenta de um líquido quente

que logo me ensinaram a chamar de tetê

e de tantos outros nomes.

Olhos que me querem bem

se abrem sobre mim.

Mãos fortes são delicadas comigo

Tem a voz fina

Tem a voz grossa

que me acalma

Elas ficam comigo todo o tempo.

Mas tem outras vozes de vários tipos

Não estou sozinha.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: