Sem respiro

Meedito

De repente sem respirar direito

Sufocava em meio à abundância de oxigênio

Recolhido

Isolado

Queria abraçar os filhos e a mulher

Sem Testamento

Sem carta de despedida aos amigos

Presunçoso de que haveria tempo

Iludido que haveria controle

Agora, seguia para o desconhecido

O teto se movia num travelling angustiante

As luzes eram interrompidas por silhuetas paramentadas

A aplicação na veia e o tubo na traqueia

Nada mais foi visto.

Ver o post original

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s